quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

A Nissan Vanette está na NET...

Maratona Abiúl (Pombal) - 09 Dezembro de 2007

Preâmbulo
Uns dias após ter participado na Maratona TransPinhal em Vila de Rei, fui convidado pelo Firmino a participar na maratona de Abiúl em Pombal... De acordo com ele, a inscrição custava apenas 10 Aéreos e ao contrário de Vila de Rei, os pontos de abastecimento eram de boa qualidade, sendo inclusivé oferecido aos participantes: Carne de Boi, Pastéis de Nata entre muitas outras iguarias... "Epá, se não aguentarmos os 78kms, pelo menos, enchemos a barriga nos abastecimentos...".

Mais tarde vim a saber que o pessoal de Torres Novas também estava inscrito: Paulo Pereira (Paulo da TMN), Narciso (Narsa ou Desistente) e José Luis (Condutor da Vanette).

Fui à página da Maratona de Abiúl e confirmei as incrições da malta e constatei um facto que me chamou a atenção para sugerir a criação de um grupo de BTT em Torres Novas... Quase todos os participantes inscritos na maratona pertenciam a um clube ou grupo de BTT. O resto já todos sabem...

O dia da Maratona
O encontro estava marcado para as 7h20 na Silvã. Iriamos os quatro na carrinha do Zé Luis. O Paulo da TMN tinha-me dito que a Vanette era a carrinha oficial das participações em maratonas. Era a minha primeira viagem na Vanette e confesso que estava curioso com as descrições do Paulo da TMN...

7h20m da manhã
Quando cheguei à Silvã em frente à casa do Zé Luis não vi Vanette nenhuma. Decidi dar uma voltinha atrás do prédio... Nada... Tentei ligar ao Zé e nada... Dasse... Querem lá ver... Voltei à parte da frente do prédio e eis que encontro o quê... Uma Nissan Vanette em carne e osso, ou melhor, em aço e molas...

Sei que estão ansiosos por ver uma foto da Nissan Vanette, mas primeiro vou descrever um pouco do percurso até Pombal: Passamos em casa do Narsa por volta das 7h25m e na baixa da cidade por volta das 7h30m para apanhar o Paulo da TMN. Lá andava o gajo às voltinhas na sua Trek.
"Ah e tal, já aqui estou há 5 minutos à vossa espera, tava a ver que não vinham! Levanta-se um gajo cedo para chegar a horas e depois tem de ficar à vossa espera... Tava eu tão bem no quentinho com a minha Sandrinha..."


O Zé Luis a acomodar as biclas lado a lado.

Claro que o Paulo tentou "enfiar" a bicla dele dentro da Vanette sem desmontar as rodas... Vindo do Paulo isto já era de esperar.
"Epá, mas eu não sei desmontar a roda! Ajudem-me lá!".
E lá foi o Zé Luis desmontar a roda da frente enquanto o Narsa segurava a porta traseira da Vanette.

Com as biclas já arrumadas, material preparado e a malta toda na Vanette, foi hora de seguir caminho:

Depois de mandar um calduço no Zé Luis e três no Narsa o Paulo acomodou-se na Vanette... deitado no banco e com os pés em cima do separador entre os bancos da frente e o banco traseiro... Aquele sapato do lado direito é do Paulo, claro está...
Zé Luis: Então por onde é que vamos?
Luis Brites: Pela Auto-Estrada?
Narsa: Ah e tal, eu vou só fazer os 40kms...
Paulo: Eu sei o caminho... fiquem descansados...
OOPPSSSS!!! Será que podemos?!?!

Ainda nem tinhamos chegado ao mercado de Torres Novas e já o Paulo estava a aliviar a tensão intestinal... Dasse que pive... Descobri uma das provas da passagem dos anos pela Vanette... o vidro da janela não deslizava e tive de gramar com a bomba do Paulo... LOL!
"Ah e tal, isto não é nada! A minha Sandrinha já nem nota nada!".
Coitada! Sandra isso é que é sofrer!
Dei graças pelo facto do Falcão não ter vindo connosco, porque nesse caso, dúvido que conseguissemos chegar a Pombal sem uma intoxicação respiratória...

O Paulo com cara de aliviado...

As meninas perfiladas lado a lado...

Repararam nas córtinas da Vanette? Um ESPETÁCULOOO!! Vanette sem córtinas nem é digna do nome...

Paragem na Estação de Serviço da CEPSA à saída de TN para o café da praxe e encontro com o Cancela. Aqui fica a prova do dopping que o Cancela tomou...

Na estação de serviço surgiu de novo a discussão sobre o melhor caminho para Pombal...
Cancela: Acho melhor irmos por Ourém...
Paulo: Não vamos nada... vamos por Tomar. Eu conheço bem o caminho...
Brites: Não era melhor a A1?
Paulo: Nopes... Tomar... Eu conheço aquilo como a palma da minha mão... Muitos contratos da TMN fechados naquela zona...
Todos: OK.
Lá seguimos então pela A23 até à Atalaia e depois em direcção a Tomar pelo novo IC até à saída da cidade... Pelo caminho perdi a noção do número de calduços que o Narsa levou, bem como, o número de vezes que tive de abrir a janela da Vanette para respirar um bocadinho de oxigénio puro...
Quando passamos ao lado de Tomar e próximo de S. Pedro, o Paulo informou o pessoal que quem estivesse interessado numa vivenda amarela com piscina incluida, poderia comprar uma que se via à distância do lado direito... Era a sua casa em Tomar... Claro está que a partir desse momento, cada casa amarela que o pessoal via, perguntava: "Paulo é esta a tua casa?"

A chegada a Vila Cã...

A azáfama começava a tomar conta das ruas da aldeia...

A Vanette finalmente está na NET...

Reparem no pormenor do cabo da vassoura... Ah pois é... Não é para todos...

80kms??? Voçês estão mas é doidos... 40kilometritos...e...e...

Estava eu ainda a esticar as pernas da viagem e a tirar as primeiras fotos, quando oiço o pessoal a chamar-me e a dizer: "OH Brites, filma ali o Cancela!". Qual não é o meu espanto quando vejo o Cancela num monte ao lado da Vanette a pintar um quadro de Van Gogh... Já não fui a tempo de apanhar o pintor em acção, mas ainda captei o último retoque do artista...

Phone-IX!!! Suporte para a bicla e tudo? A Vanette parece a mala do Sport Billy...

Aquela pose do Narsa lembra-me a Sertã... Só lhe falta o saquinho das compras...

Aqui a malta de Santarém já alinhada para a partida. Da esquerda para a direita: Rui Eloy, Firmino Cecilio, Paulotes, Scalabitano e o Cão Repórter.

Restante pessoal alinhado na grelha de partida... Desculpem, mas já não me lembro do nome de todos...

O arranque da prova...

Os arcos à entrada de Abiúl...

Taberna do Seca-Pipas... (Ainda bem que o Falcão e o Marchão não vieram... Já não arredavam pé daqui...)

A passagem pela praça de Toiros... (Faltava aqui o João que sempre sonhou entrar numa Praça de Toiros em bicicleta ao som do Tá tá rá rá...)

E durante os primeiros 10kms foi sempre a mesma coisa... asfalto...asfalto e asfalto... Pensei eu para com os meus botões: "Mas que grande seca!!! será que vão ser 80kms disto???". Mal sabia eu que me iria arrepender profundamente deste pensamento...

Até aqui andei sempre sozinho. É que logo no inicio da maratona deixei cair uma luva e tive de voltar atrás... Quando tentei recuperar terreno, já o pessoal do BTT Almonda tinha ido para a frente... o pessoal de Santarém idem...

Finalmente terra batida...

Neste ponto encontrei o Firmino e o Rui Eloy. Seguimos juntos durante uns kilómetros... até eu me perder novamente...

A primeira subida de jeito e o pessoal a apear...



Daqui para a frente fui sozinho até ao primeiro abastecimento... No final da subida fiquei à espera do Rui e do Firmino... No meio de tanta gente, nem dei conta que tinham passado por mim...

O primeiro abastecimento... com direito a sandochas, águas, sumos, grelhados e pastéis de nata... Tudo à discrição... Nunca tinha visto nada assim...


A partir daqui a prova dividia-se em dois percursos: Passeio e Maratona. Lá conseguimos enganar o Narsa que seguiu conosco um bocado contrariado. Claro que o Zé Luis e o Paulo estavam imparáveis com uma grande pedalada. Nas subidas fiquei sempre para trás... Nas descidas era vê-los ficar para trás...

Aqui eu a ficar para trás...

O Firmino...

O percurso sempre bem assinalado... (Nem sinal do Paulo ou do Zé Luis...)

Aqui ainda estava com 25kms, mas as pernas já começavam a acusar desgaste...

A ponte romana...

A partir deste ponto fizemos um Single-Track técnico a acompanhar o ribeiro durante alguns kilometros. Foi aqui que consegui recuperar algum terreno e avistar novamente o Paulo e o Zé Luis.
Estavamos já em pleno concelho de Alvaiázere em direcção à Serra, ou seja, fizemos uns bons kilometros a subir, pelo que, perdi novamente de vista o Paulo e o Zé Luis... Felizmente que tinha o Narsa para me ir animando... Ora passava eu para a frente nas descidas.. Ora passava ele por mim nas subidas...

O Zé Luis no final de um Single-Track a subir...

A serra...


O Narsa começava a acusar o desgaste... (Oh pr'a ele de amarelinho...)


O Zé Luis com alguns problemas técnicos...


Este trilho lembra-me o "Trilho Encantado" da Serra dos Candeeiros em Alcobertas...



O final do Single-Track (a descer)... ESPETACULAR...

EPÁ! Vou desistir... Tou cheio de cãibras...

Ainda paramos com o Narsa no segundo abastecimento aos 43kms, mas aos 45kms o rapaz não aguentou mais e foi tomar banho mais cedo...

Eu achava que ainda tinha forças para os restantes 33kms e que se o terreno não piorasse, conseguiria fazer tudo... Pois... Achava eu... E segui caminho com o Paulo e o Zé Luis...

Inicialmente achei estranho não ver ninguém a seguir conosco... "Será que desistiram todos e só o BTT Almonda é que seguiu em frente?" Mas aos poucos lá fomos avistando mais uns quantos malucos...

Não sei porquê, mas a partir do segundo abastecimento quase não parei para tirar fotos... Ou melhor, eu sei porquê... Porque tive de acompanhar o Paulo e o Zé Luis que estavam com uma pedalada brutal... isto para não falar do terreno... Sobe, sobe, desce, sobe, sobe, desce... Dasse...

Aqui já em plena Serra do Sicó (a subir claro está...)

Finalmente a descer...

A subir...

No cimo da serra... (Eu a pensar que já não ia subir mais... Pelo menos era o que dizia o gráfico de altimetria que saquei do site da maratona...)

Apenas mato... E as antenas lá ao fundo... Será que vamos subir lá acima???

Como dá para perceber, o Paulo e o Zé Luis passaram de novo para a minha frente...


A partir deste ponto, comecei a deixar de acreditar... Pensei... "Pronto Brites, as pernas já não dão mais... O gráfico de altimetria diz que aos 60kms é a descer, mas o Conta-Kilómetros marca 60kms e tu estás a subir... Rende-te... Segue o exemplo do Narsa e desiste..."

Mas não desisti... Estive quase, quase...

Já no terceiro ponto de abastecimento... (As meninas eram muito simpáticas... )



E ainda bem que não desisti... Vejam bem este Single...

Paulo...

Zé Luis...


Com tanta chocalheira... a bexiga não aguentou...



Ah e tal... É tão pequenina que nem a encontro...


Esta descida foi ESPETACULAR...



Pombal lá ao fundo...

Zé Luis a descer... Porra que merda de Single-Tracks estes... Numa rigida...
Brites: Queres que te empreste a minha bicicleta Zé?
Zé: Não vale a pena... Não a coheço depois nem tu nem eu aproveitamos a descida...

O final desta descida era já em plena cidade de Pombal. Aqui chegados estava situado o último ponto de controle da maratona. Pergunta da menina que fazia o controle do dorsal: "Então, está preparado para os últimos 13kms até Vila Cã?" GLUP!!! O que é que isto quer dizer??? Dasse...
A partir daqui tive de ligar o piloto automático. Iniciamos a volta de regresso a Vila cã. O percurso em Single-Track ligeiramente a subir, acompanhava um riacho e como estava situado num vale a Norte duma pequena montanha, estava um pouco enlameado e cheio de pedra...

Como o Zé Luis já vinha lixado com a descida até Pombal, quando apanhou o Single-Track cheio de pedra começou a praguejar: "Oh Paulo, são estes os Single-Tracks espetaculares de que falavas? Ah e tal, aquilo lá em Pombal é espetacular... Single-Tracks lindos... Se fosses..."

Paulo, estás a gostar?

Reparem bem no pormenor desta foto... Já repararam que estamos no topo de uma subida e eu cheguei primeiro que o Zé Luis? Pois... Era um Single-Track técnico... Tá explicado...


Contagem decrescente para a meta...

75kms...

76kms...

Fodasse... mesmo a chegar à meta tinhamos de molhar o pézinho...

77 kms...


Na linha de meta...



O balneário para a banhoca... (Familias, por favor não façam zoom no gajo com a toalha azul...)


Que bela peitaça (Está é tua Sandra...)


Gostei do pormenor dos cabides para a roupa... Foi uma experiência engraçada... Estava um bocadinho frio para ir todo nú até ao contentor tomar a banhoca, mas pelo menos era de água quente, coisa que em Portalegre é dificil.



Quando chegamos ao pavilhão onde se realizava o almoço, já tinha acabado a Carne de Boi... Oopss!!! Aqui fiquei com uma ligeira sensação a Vila de Rei... Os profissionais chegaram primeiro e limparam o Boi todo...

Em nome dos elementos do Grupo de BTT Almonda que participaram nesta maratona, gostaria de registar a opinião sobre as nativas de Vila Cã: digamos que é um sitio muito aprazivel para se viver... A julgar pela amostra que tivemos oportunidade de avaliar durante o jantar e já no café da aldeia... Mais meia hora e havia alguém que já não voltava para Torres Novas, ficando no café da aldeia...

Já de regresso a Torres Novas e na Nissan Vanette, recomeçou o bombardeamento protagonizado pelo Paulo da TMN... Dasse...
"OH Zé, já mandaste arranjar o vidro da Vanette???"

Resumo da voltinha
Inicio: 9h30m
Final: 16h15m
Distância percorrida: 78kms
Paragens: Algumas
Quedas: Por incrivel que pareça, o Paulo não caiu nenhuma vez...

Conclusão
Um dia muito bem passado: BTT, Nissan Vanette, Comida, Amizade e Boa disposição!!!
Os momentos de camaradagem passados na Nissan Vanette são de facto únicos.
Sem dúvida um dia para recordar...

3 comentários:

júnior brites disse...

Nissan Vanette? Epá mas isto não era um bilogue de btt?

fabio disse...

Ó Britos aquela fotografria que tu dises que vais na frente . . . Nu single-trek a subrir foste tu que me pediste para eu ficar para tras para nao ser sempre o mesmo . . .lol . . . e su uma brincadeira
esta bem feito o blug . . .

fabio disse...

este pekenu testo ke esta ai em sima fui o meu pai ke fes . . .